Tudo sobre a vacina da Gripe H1N1 em pessoas com doenças reumáticas

Pessoas que convivem com Artrite Reumatoide costumam ter infecções respiratórias, que podem levar a internações e, em alguns casos, até mesmo à morte.

Por esse motivo, o Consenso de Tratamento da Artrite Reumatoide da Sociologia Brasileira de Reumatologia recomenda a vacinação contra o vírus da Gripe e da Pneumonia, ambas disponíveis na Rede Pública de Saúde.

A vacina da gripe é uma maneira preventiva e segura de imunização para todos os pacientes reumáticos, incluindo crianças e idosos. Ela deve ser tomada anualmente, pois o vírus da gripe Influenza sofre mutações, trazendo a cada ano uma nova variante da doença.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) faz uma previsão anual de quais serão os vírus Influenza prevalentes. Através dessa informação, a ANVISA determina qual será a composição da vacina no Brasil. Este ano será do tipo Influenza trivalente, que imuniza contra os seguintes vírus: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. A contraindicação da vacina é somente para pessoas que têm alergia severa ao ovo.

Pacientes com doenças crônicas, especialmente os que utilizam medicamentos imunossupressores, devem comparecer aos postos de vacinação a partir do dia dois de maio. Vale lembrar que independente do uso de imunossupressão, pessoas com doenças reumáticas estão dentro do grupo de risco e podem receber a vacina gratuitamente nos postos de saúde. É muito importante a vacinação de indivíduos que convivem com doentes crônicos, porém estes só poderão tomar a vacina a partir do dia 26 de maio, pois não se enquadram no grupo de risco.

Crianças que sofrem de doenças reumáticas, entre seis meses e menores de cinco anos de idade, já podem receber a vacina. As que têm mais de cinco anos de idade poderão ser vacinadas depois do dia 26 de maio. Para receber a vacina é preciso levar a Carteirinha de Vacinação e o Relatório Médico do reumatologista. Caso não houver o relatório, é possível levar uma receita dos medicamentos que estão sendo utilizados pelo paciente.

Muitas pessoas acreditam que a vacina pode fazer com que elas fiquem gripadas, e por isso acabam não se imunizando contra a doença. No entanto, isso não é possível, visto que a vacina é desenvolvida com vírus inativados (mortos). Casos de pessoas que ficaram gripadas após a vacinação se devem provavelmente à outras doenças respiratórias, ou o paciente já tinha contraído o vírus da gripe e a vacina não teve tempo suficiente para fazer efeito.

A imunização não é imediata. Após tomar a vacina, a pessoa só estará protegida depois de um período de três a quatro semanas, o tempo necessário para produção de anticorpos contra a doença no organismo. Alguns dos efeitos colaterais incluem dor e inchaço no local da picada, além de febre baixa e indisposição, porém não tão intensos como na gripe.

Deixe um comentário