Novos Tratamentos para Artrite Reumatoide mudam a vida de pacientes

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune que geralmente compromete pequenas articulações das mãos e pés. A inflamação crônica nas articulações causa dor, inchaço local e dificuldade de movimentos, especialmente pela manhã. A doença pode evoluir com deformidades articulares e eventualmente pode comprometer outros órgãos como pele, olhos, pulmões, coração, vasos sanguíneos.

Qualquer pessoa pode desenvolver a doença, desde crianças em tenra idade até idosos. Existe uma predileção pelo gênero feminino, a AR acomete 3 mulheres para cada homem.

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) em torno de 1% da população mundial tem AR. Num estudo de mais de 20 anos, mais de 1100 pacientes foram acompanhados para verificar o surgimento de deficiências físicas e mentais entre 3 e 5 anos após o diagnóstico inicial da AR.

No início do estudo, nos anos 90, 25% dos pacientes com AR sofriam de ansiedade ou depressão, e 53% apresentavam algum grau de deficiência física relacionado à doença. Em 2011, essas complicações mentais estavam presentes em apenas 12% a 14% dos pacientes, e 31% dos novos pacientes desenvolveram algum grau de deficiência física. Ou seja, houve um declínio expressivo no comprometimento físico e mental dos pacientes portadores de AR nessas duas décadas.

De acordo com a médica reumatologista Catarina Vila, essa melhora de qualidade de vida dos pacientes portadores de AR deve ser atribuída à combinação de avanços nos tratamentos, maior frequência de atividades físicas e melhores terapias de saúde mental.

A especialista fez questão de ressaltar sobre um tratamento que se tornou revolucionário para estes pacientes, a Terapia Imunobiológica. O protocolo consiste em uma forma de tratamento que se tornou possível graças aos avanços da biologia molecular.

Segundo a médica, este tipo de terapia vem sendo utilizada desde 1998 e já beneficiou mais de 1 milhão de pessoas em todo o mundo. Os medicamentos imunobiológicos permitem maior especificidade no controle de doenças autoimunes e inflamatórias, como a AR. Existem mais de 30 tipos diferentes de agentes biológicos já liberados para uso em procedimentos ou para testes clínicos. “Definitivamente é um tratamento revolucionário para muitas das doenças reumáticas, trazendo melhora objetiva e até remissão da doença, mesmo em pacientes refratários aos tratamentos convencionais. O paciente é tratado de uma forma mais individualizada, de modo a encontrar a terapia mais eficaz para ele.” Ressalta Catarina.

Fonte: Divulgação

Deixe um comentário